A pedra viva

A pedra viva
2. Leia 1 Pedro 2:4-8 (veja também Is 28:16; Sl 118:22; Is 8:14, 15). Que verdade fundamental foi mencionada por Pedro? Como devemos agir em resposta ao sacrifício de Jesus? Assinale a alternativa correta:
A. ( ) Jesus é a pedra que não será rejeitada por ninguém.

B. ( ) Jesus foi a grande Pedra, mas está morto e não pode nos ajudar em nada.

C. ( ) Jesus é a pedra angular, rejeitada por muitos. Devemos nos achegar a Ele e oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus.

Depois de instruir seus leitores a buscar o alimento espiritual, Pedro dirigiu imediatamente a atenção deles para Jesus Cristo, a Pedra viva, muito provavelmente uma referência ao templo de Jerusalém. Em 1 Pedro 2:4-8, ele citou três passagens do Antigo Testamento que ressaltam a importância das pedras angulares. Essas pedras representam a função de Jesus em Sua igreja. Pedro não foi o único a relacionar esses versos a Cristo. O próprio Salvador empregou o Salmo 118:22 na conclusão de uma de Suas parábolas (Mt 21:42). Pedro fez o mesmo em Atos 4:11, em seu discurso à liderança judaica. Paulo usou Isaías 28:16 em Romanos 9:33.
O argumento de Pedro é que, embora Jesus tivesse sido rejeitado e crucificado, Ele havia sido escolhido por Deus para Se tornar a pedra angular da casa espiritual divina. Por isso, os cristãos também são pedras vivas edificadas nessa casa. Ao usar a terminologia da pedra angular e da pedra fundamental, Pedro estava apresentando um retrato da igreja, que é fundada sobre Jesus, mas formada por aqueles que O seguem.
Tornar-se cristão significa passar a fazer parte de uma comunidade cristã ou igreja. Assim como um tijolo deve ser usado para edificar uma estrutura maior, os cristãos também são chamados a ser seguidores de Cristo em comunidade. Um cristão que não adora nem trabalha com outros cristãos para o avanço do reino de Deus é uma contradição. Os cristãos são batizados em Cristo e, sendo batizados nEle, também são batizados em Sua igreja.
Pedro falou também sobre a função da igreja, que é formar um “sacerdócio santo” (1Pe 2:5) que ofereça “sacrifícios espirituais”. No Antigo Testamento, os sacerdotes mediavam entre Deus e Seu povo. Muitas vezes, Pedro e outros autores do Novo Testamento lançaram mão da linguagem do templo e do sacerdócio a fim de apresentar a igreja como templo vivo de Deus, e Seu povo, como sacerdotes desse templo. Pedro mencionou o sistema de culto do Antigo Testamento para revelar verdades sobre a maneira pela qual os cristãos devem viver e agir hoje.
3. Leia 1 Pedro 2:5. O que significa “oferecer sacrifícios espirituais”?

Para os que creem, Cristo é o firme fundamento. São eles que caem sobre a Rocha e se despedaçam. A submissão a Cristo e a fé nEle são aqui representadas. Cair sobre a Rocha e despedaçar-se, é renunciar a nossa própria justiça e ir a Cristo com a humildade de uma criança, arrependidos de nossas transgressões e crendo em Seu amor perdoador. E assim também é pela fé e a obediência que edificamos sobre Cristo como nosso fundamento.
Sobre essa pedra viva podem edificar semelhantemente judeus e gentios. Esse é o único fundamento sobre que podemos, com segurança, edificar. É suficientemente amplo para todos, e forte bastante para sustentar o peso e o fardo do mundo inteiro. E pela ligação com Cristo, a pedra viva, todos quantos edificam sobre esse fundamento se tornam pedras vivas. Muitas pessoas são lavradas, polidas e embelezadas por seus próprios esforços. Não podem, no entanto, tornar-se “pedras vivas”, porque não estão ligadas a Cristo. Sem essa ligação, pessoa alguma se pode salvar. Sem a vida de Cristo em nós, não podemos resistir às tempestades das tentações. Nossa segurança eterna depende de edificarmos sobre o firme fundamento. Multidões se encontram hoje em dia edificando sobre fundamento não provado. Ao cair a chuva, e soprarem os ventos, e as enchentes sobrevirem, sua casa cairá, porque não está fundada sobre a Rocha eterna, a principal pedra de esquina – Cristo Jesus (O Desejado de Todas as Nações, p. 599, 600).
Os que têm caráter, conduta, hábitos e práticas defeituosos, devem atender aos conselhos e reprovações. Este mundo é a oficina de Deus. E cada pedra que pode ser usada no templo celestial deve ser talhada e polida, até ser pedra provada e preciosa, ajustada para seu lugar no edifício do Senhor. Mas se recusarmos ser ensinados e disciplinados, seremos como pedras não talhadas e polidas, e que afinal serão postas de lado como inúteis.
É possível que, para a formação de nosso caráter, muito trabalho seja ainda requerido e sejamos ainda pedra tosca que tem de ser talhada e burilada antes de poder preencher dignamente seu lugar no templo de Deus. Não deve surpreender-nos pois que, com o martelo e o cinzel, Deus Se ponha a polir as arestas para que ocupemos o lugar que nos destina. Ser humano algum pode efetuar essa obra. Só Deus a pode executar. E podemos estar certos de que nenhum golpe será dado em falso. Todos os Seus golpes são dados com amor, para nossa felicidade perpétua. Ele conhece nossas fraquezas e trabalha para restaurar, não para destruir (Orinetação da Criança, p. 168).
Os eleitos de Deus são uma geração escolhida, um povo peculiar, uma nação santa, para manifestar os louvores dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. São o sal da Terra, a luz do mundo. São pedras vivas, sacerdócio real. Estão em sociedade com Jesus Cristo. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 422

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s